UCPel fará pesquisa estadual sobre medidas de proteção individual contra a COVID-19

A Universidade Católica de Pelotas (UCPel) fará estudo longitudinal inédito no estado para conhecer como os gaúchos estão adotando as medidas de proteção individual contra a Covid-19. Dividido em três etapas, a pesquisa irá analisar os hábitos adotados em junho de 2020, dezembro de 2020 e maio de 2021. Ainda fará parte do estudo a avaliação do estilo de vida, da saúde mental, nutricional e econômica de amostra da população. 

Chamado de CovidTel-Gaúcho e coordenado pela professora e pesquisadora do Mestrado Profissional em Saúde do Ciclo Vital da UCPel, Janaína Motta, o estudo irá entrevistar por telefone moradores das 18 cidades sedes de Coordenadorias de Saúde do Rio Grande do Sul. De cada cidade, 500 números de telefones serão sorteados.        

Conforme Janaína, através do estudo será possível mapear a adesão das medidas de proteção individual recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como higiene frequente das mãos, etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz com um lenço de papel ou braço ao tossir ou espirrar e não com as mãos) e distanciamento social. “As medidas de proteção pessoal recomendadas pela OMS são extremamente importantes porque também ajudam na prevenção de outras doenças respiratórias existentes, grande problema enfrentado pelo estado a cada inverno”, explica.

Para conhecer, avaliar e propor ações permanentes de educação em saúde, o questionário será aplicado em três momentos distintos: no atual – a pesquisa começa em junho -, daqui a seis meses e, novamente, daqui a um ano. A partir dos resultados, será possível identificar quais as medidas preventivas permaneceram sendo adotadas mesmo após a diminuição do surto da Covid-19, visto que elas também previnem o contágio de outras infecções respiratórias. 

De acordo com a coordenadora da pesquisa, os dados ainda poderão resultar em novas ações de educação em saúde voltadas a prevenção da disseminação dessas doenças. Poderá ainda, subsidiar a tomada de decisões para alocação de recursos e acesso a itens de proteção.

 

Avaliação do estilo de vida, saúde mental, nutricional e econômica

Além das utilização das medidas de proteção individual, o estudo proposto pelo Mestrado Profissional em Saúde do Ciclo Vital irá avaliar o estilo de vida, a saúde mental, nutricional e econômica da população gaúcha no período de pandemia de Covid-19 por um ano. “Os resultados poderão apontar para ‘novos’ modos de atenção, especialmente em relação a educação em saúde, mas também poderá auxiliar no aperfeiçoamento de tecnologias de atenção à saúde”, comenta Janaína.

Informações sobre a saúde mental das gaúchos serão melhor conhecidas. Janaína destaca que a hipótese é encontrar durante a pandemia uma prevalência elevada de sintomas ansiosos e depressivos, bem como alteração do padrão do sono, quando comparados a seis e 12 meses após o começo da pandemia. “No item estilo de vida, acreditamos encontrar maiores índices de sedentarismo, alimentação baseada em produtos industrializados, com pouco consumo de frutas e verduras, refletindo no aumento de peso” analisa.

Além das mudanças alimentares, a coordenadora supõem também encontrar maior índice relacionado à insegurança alimentar e nutricional. O item será responsável por avaliar, assim como a qualidade, a escassez de acessos a alimentos devido questões financeiras.    

A pesquisa proposta pela UCPel foi contemplada pelo edital emergencial ‘Ciência e Tecnologia no combate à Covid-19’, lançado no início de abril pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul (FAPERGS). As entrevistas começarão em junho. 

Redação: Rita Wicth – MTB 14101