Parceria entre PPGSC e instituição canadense discute sobre a bipolaridade

Professores do Programa de Pós-graduação em Saúde e Comportamento da Católica de Pelotas (PPGSC/UCPel) estão no Canadá para tratar sobre uma parceria com o Departamento de Psiquiatria e Neurociências Comportamentais da McMaster University. Com foco na bipolaridade, iniciativa tem como objetivo pesquisar os fatores que podem prever o aparecimento e a progressão do transtorno.

Coordenado pelo docente do PPGSC, Ricardo Silva, o projeto tem como título Preditores de neuroprogressão no transtorno bipolar: um estudo prospectivo com amostra comunitária de adultos jovens. Segundo o também professor do curso de psicologia da Católica de Pelotas, além de fazer a análise de dados, a visita tem como objetivo a publicação de artigos científicos e a elaboração de uma pesquisa.

Quem também colabora com o projeto e integra o grupo que está no Canadá é a professora do PPGSC e do Mestrado Profissional em Saúde no Ciclo Vital, Fernanda Pedrotti. De acordo com ela, através do estudo submetido a uma agência de fomento do Canadá, será possível investigar os fatores que antecedem o transtorno bipolar.

A viagem ao país norte-americano está contemplada no edital do programa de internacionalização da pós-graduação no RS oferecido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs). O projeto também possibilitou a vinda dos pesquisadores do Departamento de Psiquiatria e Neurociências Comportamentais da McMaster à UCPel duas vezes e também a publicação de seis artigos em parceria entre os grupos de estudos das duas instituições.

Reflexos para a comunidade 

Para Ricardo, a pesquisa vai permitir que os cuidados voltados à bipolaridade sejam mais eficazes. Ele também reforça a importância desta parceria para os acadêmicos da Católica de Pelotas.  “Os dados dos dois grupos agregados ajudam muito a compreender o transtorno e a partir disso, melhorar o tratamento. Também é uma chance de contato com outros grupos e outras formas de pensar, possibilitando um intercâmbio de conhecimentos”, destaca o coordenador.

Fernanda conta que a equipe envolvida no projeto, possui conhecimento aprofundado em diferentes linhas de pesquisa envolvendo os transtornos de humor e com isso, é possível uma melhor compreensão acerca do tema. “Além disso, ao longo das discussões que estão sendo realizadas, novas questões de pesquisas estão sendo debatidas e formuladas”, explica.

Participa também da viagem o professor de psicologia da UCPel, Luciano de Mattos Souza.

Redação: Kauã Blank