Pesquisa da UCPel adapta medidas para diagnóstico de transtorno mental infanto-juvenil

O doutorando do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Comportamento da Universidade Católica de Pelotas (PPGSC/UCPel), Tharso Meyer, desenvolve estudo inédito no país voltado à adaptação de instrumentos que avaliam o Transtorno Bipolar (TB) na infância e adolescência. Até hoje, profissionais brasileiros não dispõem de instrumentos de avaliação criados ou adaptados ao contexto local para a faixa etária.
Devido à importância do estudo, que será responsável por disponibilizar medidas mais fidedignas para diagnósticos de transtornos mentais na infância e adolescência, o trabalho de Meyer obteve destaque no XI Congresso Latino Americano de Terapias Cognitivas e no XII Congresso Brasileiro de Terapias Cognitivas. Neste ano, os eventos ocorreram conjuntamente entre os dias 2 a 6 de abril, na cidade de Fortaleza. 
De acordo com o doutorando, o tema ainda é motivo de debate entre especialistas, devido às diferentes manifestações do TB em adultos, adolescentes e crianças. “Um passo importante para o avanço nessas discussões é o estabelecimentos de instrumentos válidos e precisos para a população infanto-juvenil brasileira”, pontua.
Os instrumentos alvo do estudo são Child Mania Rating Scale – Parent Version (CMRS-P) e Parent Young Mania Rating Scale (P-YMRS), ambos desenvolvidos nos Estados Unidos. O primeiro é composto por 21 itens, respondidos em escala do tipo Likert de quatro pontos (variando entre nunca e frequentemente). Já o segundo possui 11 itens de múltipla escolha e ambos são respondidos pelos pais de crianças e adolescentes com idades entre 5 e 17 anos.   
Meyer destaca que são inúmeros trabalhos que comprovam a influência dos fatores culturais nas psicopatologias e, consequentemente, nos instrumentos que avaliam os transtornos. “Sempre que um instrumento for utilizado em uma cultura diferente, ele deve passar por um rigoroso processo de adaptação transcultural”, explica.      
Entre os processos que compõe a validação da adaptação dos instrumentos norte-americanos, estão à autorização dos autores dos instrumentos originais e a tradução dos estudos por pelo menos dois profissionais. A avaliação realizada por um comitê de especialistas para verificar a clareza e a pertinência do instrumento traduzido, estudo piloto, entre outras etapas, integram o processo. 
Além de contribuir à prática clínica e de pesquisa acadêmica na área da saúde mental infanto-juvenil no Brasil, a tese, ainda em andamento, trará inovação dos estudos relacionados ao transtorno bipolar. Recentemente, o estudo foi ampliado para mais um instrumento de avaliação do TB. A tese conta com a orientação do professor Luciano Dias Mattos Souza e coorientação da professora Vera Lúcia Marques de Figueiredo.
Distinção em evento
O estudo do doutorando do PPGSC obteve destaque no XI Congresso Latino Americano de Terapias Cognitivas e no XII Congresso Brasileiro de Terapias Cognitivas. Ambos os eventos ocorreram conjuntamente nos dias 2 e 6 de abril em Fortaleza e debateram a integração de terapias cognitivo-comportamentais. 
Meyer obteve o primeiro lugar na modalidade apresentação Comunicação Oral. Para o doutorando, o reconhecimento representa um impulso na carreira devido o prestígio da organização. “A participação foi muito positiva, tanto para a realização da pesquisa como para o estabelecimento de parcerias e publicações futuras”, avalia.
Redação: Victoria Priotto e Rita Wicth – MTB 14101

foto da notícia